terça-feira, 4 de novembro de 2014

das fases difíceis

Pelos últimos posts, pelas tirinhas e conversas registradas no blog, dá pra perceber que nossa filhota é fogo.
E essa fase é complicada. Tem que ter muito jogo de cintura.
Não dá pra negar que é uma fase gostosa, onde a gente percebe a evolução a cada dia que passa. São novas palavras, novas frases, novas músicas, novas brincadeiras, novas histórias e estórias.
A imaginação corre solta!
Mas também é uma fase de muitos desafios pra nós pais. De puxar aquela paciência gigante que estava adormecida (ou que nem existia, no meu caso), contar até 100, dar uma volta e esfriar a cabeça.
Nina não tem medo de quase nada. Então, não adianta dizer que o bicho pega, que o sapo pula, que o boi da cara preta pega a menina que tem medo de careta... não adianta... Ela mesma canta a música do boi bem faceira.
E aí, haja imaginação pra dar a volta.
Mas aí eu comecei a me perguntar: pra que imaginação? Por que não explicar o porquê das coisas?
Percebo que a Marina precisa de argumentos, de explicação. Não é só um “porque sim” ou um “porque não” que vai  satisfazê-la (e não é só com ela, mas com todas as crianças.... é aí que pode surgir a revolta, a gritaria, a rebeldia...).
E quando explicamos, ela entende, mesmo sendo pequena ainda.
Se damos uma explicação qualquer, por exemplo, por estarmos com pressa, sem paciência, não vai funcionar. Ela faz bico, franze a testa, cruz a os braços e diz: “Tô baba cuxigo!” (tô brava contigo!). Tudo porque foi contrariada e não entendeu o motivo.
Não acho que isso é querer desafiar, afrontar. Porque eles simplesmente querem algo. E quando querem, fazem de tudo pra conseguir.
Assim como nós adultos gostamos de explicações, os pequenos também gostam. E tem capacidade de entender. Se não entendem num primeiro momento, o fato de insistirmos com as coisas fazem com que eles assimilem mais fácil.
Sem contar que estamos respeitando-os enquanto pessoas. E respeito a gente ensina desde pequeno.
O respeito é parente da educação, do caráter... e por aí vai.

Então, paciência, respeito e muito amor para criar cidadãos melhores para o mundo. E para enfrentar as fases difíceis dos nossos pequenos. :-)

3 comentários:

  1. Parabéns Bibi, é isso mesmo, os pequenos entendem mais do que agente imagina.
    E toda mãe tem que saber um pouco de psicologia para entende-los. E vc está de parabéns
    está na direção certa. Beijinho na sua princesinha.

    ResponderExcluir
  2. Amiga precisamos mesmo paciência, aqui também respiro fundo e conto até 10 porque Bernardo é bem sapequinha!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eh amiga querida,paciencia e a chave do sucesso para lidar com os nossos pequenos...

    ResponderExcluir

Nós AMAMOS quando você comenta!!