quinta-feira, 5 de junho de 2014

... e os últimos dias...

Negócio por aqui tá e não tá fácil.
Têm horas que é tudo uma beleza. Têm horas, que tudo vira um caos.
Em casa, tudo é mais calmo, já na escola... A coisa tá nada boua não!
Na sexta-feira, tivemos uma conversa com a professora-chefa da turminha da pesada (leia-se: mini-maternal). Primeiro ela nos perguntou se havia mudado algo em casa e que poderia ter alterado o comportamento dela.
Bem, em casa, nada mudou. Mas o comportamento dela sim, estava diferente. Não tããão diferente. Mas percebemos uma mudança leve. Mas aquelas coisas de teimar, ficar manhosa, brava, não querer fazer algo. Mas nada gritante. Esporadicamente.
O que realmente percebemos foi um “desaprendizado” na hora das refeições. Nossa pequena que nos surpreendeu tão positivamente, aprendendo a comer sozinha e tão independente, agora faz birra pra comer. Joga comida no chão, vira o prato de comida, bate a colher no prato, não quer comer. E isso ela começou a fazer na escola também.
Depois de conversarmos com a professora, passamos um final de semana em casa só observando como ela iria se comportar.
Respiramos fundo beeem fundo e deixamos a paciência tomar conta. Nas refeições, já me despi de qualquer vontade, fome, desejo de comer comida quente, ou seja lá que for, e dou prioridade para ela. Tentamos o cadeirão, a mesinha com cadeira e o colo. Às vezes um dá certo, às vezes outro... Temos que dar a comida na boca. Desaprendeu. Mas estou começando tudo de novo e logo ela comerá sozinha. Percebi que ela joga a comida no chão quando não quer mais comer. E aí ela quer que a Mona ou o Fredo comam. Então, digo que eles não podem comer o papá dela, porque ficam dodói. Ela começou a entender isso também. E está jogando menos comida no chão.
Na escola, expliquei isso para a professora e desde então, a hora das refeições têm sido mais tranquilas. Mas ela ainda não está comendo sozinha. Ela sabe, mas faz bagunça.
Ontem o papai presenciou uma cena na escola, ao ir buscá-la. Estava Nina tentando pegar um potinho que estava na mão do colega. O colega puxava, Nina puxava... o colega ganhou a disputa. Nina não se deu por vencida e partiu com as duas mãos pra cima do colega e o colocou conta a parede, e começou a sacudi-lo, tentando tirar o pote dele.
Aí o papai chamou atenção dela e a briga parou.
E aí, o que pensar de uma cena dessas nunca presenciada por mim ou pelo pai? O que falar de um comportamento desses? Onde ela aprendeu a fazer isso? Com quem? Como? Ou ela aprendeu por necessidade mesmo, ou porque viu alguém fazer.
E aí, abro a agenda e está escrito: “Hoje Marina bateu nos colegas.”. L
Minha mãe é professora. Já trabalhou com crianças pequenas e não tão pequenas. E ontem, conversando com ela por telefone, e relatando a cena, ela riu. Sim, enquanto eu choro, ela ri!
E ela disse: “Isso é normal da idade. É uma fase. Ela está aprendendo a brigar pelo que quer. Está se impondo. A professora te relata isso, porque é papel dela falar o que está acontecendo na sala de aula, mas ela tem que administrar os conflitos entre eles. Com certeza, outros coleguinhas dela fazem o mesmo e os pais são informados. E ela pergunta se em casa ela também faz até para saber ou tentar entender a origem do que está acontecendo”.
Juro que estou tentando entender o que está acontecendo. Estou olhando para dentro de mim e tentando entender onde estou errando. E, juro, estou tentando me corrigir, ter muuuito mais paciência, calma. E eu acho que está dando certo pelo menos em casa!.
E cada vez mais eu acho que os tais terrible twos estão tomando conta desse serzinho nem tão indefeso assim.
Mesmo assim, mamãe e papai amam essa branquela linda! Cada dia mais!!!

carinha de sapeca


5 comentários:

  1. É difícil mesmo encarar essa mudança de comportamento.bruna aqui em casa também me aparece com algumas novidades também e como você sempre observo e chamo atenção se for preciso.Só ter paciência e sabedoria para conseguir conduzir as coisas da melhor forma possível.Boa sorte e uma ótima semana para vocês.

    ResponderExcluir
  2. Ai Bibi, suspiro profundo, rs.

    Vou dizer o que todo diz, hehe, é fase. As crianças tem MUITAS fases. Acho que não adianta desesperar, ela tá aprendendo e aprender não é fácil como pensamos. Aqui o Pititico também briga por um brinquedo. Vai exercendo mesmo a paciência e conversando com ela, logo isso passa. A gente só não pode deixar de chamar a atenção pra o que é certo, mas não adianta esbravejar, tô aprendendo isso, haha.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Dizem que há uma fase em q as crianças jogam as coisas no chão, né? :) Ah, acho q cada criança tem seu momento.. Não gosto dessas segmentações... E ó, essa carinha indica: linda demais rs. saúde para os 3

    ResponderExcluir
  4. OOi amiga, que saudades!!
    Davi também esta passando por isso. E tambem fui comunicada pelas tias da escola sobre o ocorrido parecido com o da Nina. Fiquei triste, claro. Mas ela tranquilizou, assim como sua mae... É mesmo da idade! Davi agora ja está na fase de divisão, e olhe, é a coisa mais linda de se ver! Passou rapidinho. Jaja passa por ai tb!

    Nina ta linda, tava morrendo de saudades de visitar essa galeguinha! <3

    ResponderExcluir

Nós AMAMOS quando você comenta!!