quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

dias de sol e tardes compridas

Após as nossas mini-férias, passeamos muito.
Os últimos dias estão sendo bem divertidos. Aproveitamos muito as tardes mais compridas para sair, passear pelo bairro com a Mona, visitar o Papai Noel, brincar no parquinho... 
Enfim, final de ano é cansativo, mas é pura diversão.
E para deixar aqui registrados os últimos dias, seguem fotos e mais fotos!

Beijos!

em Gramado e Canela - RS

fotos em Gramado - RS

com um boneco estranho
brincando de mamãe e papai Noel em Gramado - RS

primeiro contato com o Noel

com a vovó e o Noel


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

mamãe e papai se casaram...

E tem novidades por aqui!
A mamãe e o papai da Nina Ninoca se casaram no dia 01/12/2014.
Não teve festa, não teve comemorações... teve sim uma pequena cerimônia, no civil, com nossas madrinhas mais que especiais e queridas, escolhidas a dedo, para celebrar conosco esse momento tão importante.
E, claro, Nina também participou.
Foi numa segunda-feira, às 9h e 30min, no cartório pertinho da nossa casa.
À noite, saímos para jantar com nossas dindas.
Com o casamento, ganhamos alguns dias de licença e fomos curtir uma lua-de-mel praia e descansar um pouco.
Pegamos uns dias lindos, maravilhosos, de sol, calor, água limpinha, mar mansinho e águas azuis - coisa difícil de ver por essas bandas.
Conseguimos aproveitar bastante, tomar sol e tirar o brancão da pele e ficar com uma cara um pouco mais saudável.
Nina adorou a praia. Nos primeiros dias, só queria ficar na areia. Depois se soltou e entrou na água. Aí ninguém mais segurou. Deu um cansaço na gente de tanto que quis ficar na água. Virou peixe!

Foi uma semana maravilhosa e aproveitamos bastante!

com as madrinhas Adri e Claudia

lavando a louça

Mona/Nina mandando ver numa pipoca depois da praia

brincadeiras com o papai

o primeiro chimarrão

ajudando a vovó/descansando depois de um dia cheio/fazendo Pilates na praia


terça-feira, 2 de dezembro de 2014

o desfralde - capítulo final

E hoje é o último capítulo da série “desfralde”, que começou em 15/11/14, num sábado.
Como comentei nos posts anteriores, os 3 primeiros dias ocorreram escapes: 3 no primeiro, 2 no segundo e 1 no quarto dia.
Depois disso, nenhum escape. Gente, super tranquilo.
E, pegando o embalo da mãe de uma duplinha colegas da Nina (temos um grupo de mães no whatsapp) que desfraldou os meninos à noite também, depois de 3 dias que eles acordavam com fralda seca, tirei à noite também. Isso foi no quinto dia após o desfralde diurno, no dia 19/11.
De lá para cá não tivemos nenhum escape, nenhum lençol molhado.
A única coisa que ficou um pouco mais difícil foi a rotina do cocô. Nina travou nos primeiros 10 dias. Ficou sem rotina. Tinha medo de fazer cocô, tanto no penico quanto no vaso. Mas quando a coisa apertava, ela se obrigava a fazer.
Até pensei em ver se ela queria colocar fralda pra fazer cocô, mas aí seria regredir e criar outro problema mais tarde. Então, seguimos firme e agora ela encara o cocô como algo natural.
Como falei, o desfralde precisa ser algo que acriança quer e está preparada. Achei fundamental perceber isso na Nina para tomar a decisão de desfraldar. Quando ocorria algum (d0s poucos) escape, eu perguntava se ela queria colocar a fralda de novo e ela dizia que “não”. Ela estava convicta de que não queria mais.
Sem contar, que temos que ter muita paciência. Estar disponíveis para levar ao banheiro: não na hora em que eles pedem, porque no início, eles não pedem.  Mas levar dentro de um período de tempo. Nos primeiros dias, levávamos a cada 20 minutos. Depois foi espaçando até ela aprender a segurar mais e a pedir.
Hoje, ainda perguntamos se ela quer ir fazer xixi ou cocô. Mas é muito mais raro.
A escola foi fundamental neste processo. Deu muito apoio e foi quem sinalizou que Nina estava pronta para o desfralde. E eu comprei a ideia. Trabalho em conjunto que deu certo.
Eu nunca tive pressa em desfraldar a Nina. Sempre disse que iria desfraldar no tempo dela. Nem que fosse aos 5 anos. Não queria traumas.
Se foi tão cedo assim, foi uma escolha dela. Nós só a ajudamos nesse processo.
Nossa menina está crescendo. Como o tempo passa...

Beijos a todos!


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

o desfralde - 4º ato

Talvez esse seja o último post do desfralde.
Não, não voltamos atrás! Nina está desfraldada de dia. completamente. Já pede para fazer cocô e xixi. Em casa a gente é mais precavido e ainda fica perguntando se ela quer fazer e a levamos a cada tanto tempo. Mas bem mais espaçado do que nos primeiros dias.
Escape em casa, aliás, só nos dois primeiros dias. Depois não teve mais.
Na escola, segunda e terça-feira não teve escape. Ontem, teve um apenas.
Mas a grande novidade é que decidi tirar a fralda à noite também, pois observei que ela vinha acordando com a fralda sequinha – ou quase.
Então ontem fizemos um ritual diferente: Nina tomou banho, jantou e logo tomou um mamá. Mas ao invés de ela mamar e logo dormir, distraí ela um pouco para descer o mamá, transformar-se em xixi e então levá-la ao banheiro antes de dormir.
E assim foi. Mamou, brincou um pouco, fez xixi e dormiu. E eu rezei!!!!
Comprei aqueles lençóis descartáveis e forrei a caminha dela.
De madrugada ela acordou, era umas 3 horas da madrugada. Pediu mamá. Olhei, conferi e estava sequinha. Perguntei se ela queria fazer xixi. Disse que não. Estava meio dormindo. Fiz o mamá, ela tomou e dormiu.
Acordou as 6:45. SECA! E foi direitinho pro banheiro fazer xixi.
Saldo da primeira noite sem fralda: POSITIVO!
É... estamos indo para o desfralde total!
Volto com mais notícias sobre esse assunto em alguns dias! Pra contar o final da história.


flws... I'm a big girl!!!


Beijos!

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

o desfralde - 3º ato

Notícias do desfralde... 

Como comentei no post anterior, no sábado iniciamos o desfralde. Quer dizer, na sexta mesmo Nina voltou da escola e já tirei a fralda... deixei sem. Tomou banho, colocou calcinha e ficou sem fralda até dormir. Só coloquei a fralda quando estava ferrada no sono.
Algumas estratégias adotadas durante esses dois dias:
- ficar em casa, só saindo para locais próximos, como supermercados e locais com banheiro fácil
- levar ao banheiro de 20 em 20 minutos, mesmo sem vontade alguma
- oferecemos o vaso e o penico e deixamos os dois à disposição, embora no vaso ela precisasse da nossa ajuda
- iniciamos no vaso, pois ela escolheu e se sentiu mais segura. Depois ela começou a usar o peniquinho também
- diminuir um pouco os líquidos
- achar o máximo quando ela fazia xixi ou cocô no vaso ou penico
- conversar muito cada vez que dava escape e mostrar que ficávamos muito mais felizes quando ela fazia direitinho no banheiro
- conversar, conversar e conversar... Praticamente um final de semana de clausura, paciência e disposição
Tá, e aí vocês vão perguntar: e como foram esses dois dias?
E eu respondo com muita sinceridade: não achei difícil.
Primeiro porque respeitamos o tempo dela para desfraldar. E eu acho que isso é a chave do sucesso do desfralde. Não adianta querer desfraldar seu filho se ele não está pronto, preparado. e a escola ajudou muito nisso.
Segundo porque me propus mesmo a desfraldar. Por mais que às vezes dá vontade de enfiar a fralda de volta e deixar por mais um tempo, pensei: se eu não fizer agora, vou ter que fazer em algum momento. Não adianta! Parar será obrigatório quando a decisão for tomada.
Terceiro porque é libertador sair sem aquele monte de sacola com fralda, pomada, lenço... Se bem que lenço eu ainda levo e tem que levar algumas mudinhas de roupa junto. Mas tudo por precaução mesmo.
Quarto porque já sabemos o horário de ela fazer cocô. E cocô ela avisa que quer fazer! J

E qual o saldo do final de semana?
No sábado Nina teve 3 escapes. Porque ela não pede ainda pra ir ao banheiro. Ela não avisa que tem vontade de fazer xixi ou cocô. Por isso temos que perguntar a cada 20, 30 minutos se ela quer ir ao banheiro. E ela quer. E ela faz. O primeiro escape foi de manhã, logo depois que ela acordou e fez o primeiro xixi no vaso. O segundo foi no meio da sala, enquanto eu estava fazendo o almoço e ela estava brincando. Como ninguém perguntou se ela queria ir ao banheiro, escapou ali mesmo. O terceiro quando fomos na obra. E aí ela ficou molhada lá. Levei roupa mas não troquei. E como não tem banheiro lá, ela não queria fazer xixi agachada...
No domingo, foram 2 escapes. O primeiro, de novo, pela manhã, logo depois de acordar e fazer xixi no peniquinho. E o segundo foi à noite, jantando. Eu recém havia perguntado se ela queria fazer xixi e ela disse que não. Não deu 2 minutos e ela levantou da cadeira e avisou que tinha feito xixi... L

Percebi que quando ela acorda, ela não faz todo xixi de uma vez. Faz em prestações. Então, como teve escape no sábado e domingo, logo cedo, hoje quando levantamos e antes de sair para a escola, levei ela 3 vezes no banheiro e ela fez 3 xixis. Pouquinho, mas fez.

E em todos os escapes me mostrei um pouco triste e enquanto trocava a roupinha dela, conversava... ela percebia minha tristeza e me dava beijo, abraço, fazia carinho... Uma figura. Dava vontade de rir. E eu falava que ela tinha que pedir pra ir ao banheiro, que ela já era grande. Ainda perguntei: você quer usar fralda de novo? (nem sei se fiz certo em perguntar isso... mas vai que ela quisesse mesmo!) E ela respondeu na hora: Não, não quéio falda!

Em TODAS as vezes que levava ela no banheiro, seja no vaso ou penico, e ela fazia xixi ou cocô, eu é que a abraçava, dava beijo, fazia carinho dava parabéns, elogiava. E era visível a felicidade dela.

Pela manhã, quando ela acorda, já a levo para o banheiro e, antes que ela faça na fralda, já tiro logo para ela fazer no peniquinho.
E, nos dois dias, ela fez cocô bem direitinho. No sábado no vaso; e no domingo, metade no penico e metade no vaso...
Aliás, ela ainda não definiu bem se faz no vaso ou penico. Como ela está agora mais acostumada, ela já chega mais no penico, consegue baixar a calça/calcinha e sentar e fazer.
Outra coisa importante: colocar roupas fáceis de tirar. Deixar só de calcinha/cueca... facilita muito a vida deles e a nossa.

Hoje ela foi pra escola sem fralda. E as professoras estão ajudando...
Liguei duas vezes já #aloca... e ela não teve nenhum escape! E está pedindo pra fazer xixi!
É uma queridona linda!
Fralda agora, só pra dormir. 

E vamos em frente!


passeando num sábado ensolarado...
E sem fralda!!!

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

há 3 anos...

Há exatos 3 anos, nossa vida mudou totalmente ao recebermos o nosso positivo!!
Mal sabíamos que tal notícia nos tornaria as pessoas mais felizes desse mudo!
Nina, você é a tradução do que é o AMOR!
Te amamos, filha!

AMOR maior!

desfralde - 2º ato

E a saga do desfralde continua...
Mas não, nem iniciamos bem ainda.
A ideia, como comentei, era iniciar em final de dezembro, quando eu entraria em férias. Mas parece que a coisa vai evoluir.
Nina já acorda sequinha. E aí, quando acorda, eu sempre pergunto se quer fazer um xixi no vaso e ela faz rapidinho na fralda... :( Mas fico insistindo, todos os dias.
Mas hoje ela fez no vaso. Bem direitinho. Dei parabéns, um beijo e um abraço e ela correspondeu. Ficou toda feliz e orgulhosa.
Na última sexta-feira, fez cocô uma vez... Aí, no sábado não quis ficar de fralda. Deixei sem, ela fez um baita xixi na calcinha e molhou tudo. Como íamos sair o final de semana todo, não quis insistir. Voltei com a fralda.
Ontem, na escola, a professora Jaque quis falar comigo. Elas estão iniciando o desfralde na turminha dela. E fazem com 3 alunos por vez.  E ela me disse que Nina já não faz mais xixi na fralda. Ela segura e só faz se a levam para o banheiro, no vaso.
Percebi mesmo que as fraldas estavam durando mais...
Então, ela me propôs iniciar o desfralde neste final de semana e já na segunda-feira mandar a Nina sem fralda para a escola.
E aí, será que rola!?!?
Oremos!
Agora é pra valer.




sexta-feira, 7 de novembro de 2014

desfralde - 1° ato

Hoje Nina fez seu primeiro cocô no vaso. Foi penico não, gente.... Foi vaso. Diretão!!!!

A coisa ta evoluindo bemm... Rumo ao desfralde!
#ninasemfraldanoverão

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

as legítimas

Nova paixão da Nina: as havaianas.
Nem tão nova assim. Ela gosta faz tempo já... desde quando começou a caminhar.
Mas agora tá piorando a coisa. Existe um grupo de MAHD (mulheres que amam havaianas demais)? Hahahha

Sim, ela quer ir de havaianas em todo lugar, seja quente ou frio. Seja festa ou parque... Seja noite ou dia.
E é uma briga.

Hoje, antes de ir pra escola, cheguei a dizer que ia doar as tais havaianas “ósa” (rosa) se ela continuasse com essa mania....
Ela me disse: “Não! É minha!”.

Para driblar a moça, tive que pegar uma sacolinha e colocar as ditas dentro e dizer que ela ia levar pra escola, para colocar quando ficasse um pouco mais quente (estava frio).
Aí ela concordou. Deixou colocar a sandália. E saiu agarrada na sacola.

Aí chegamos na escola, ela entrou na sala e foi direto na professora, contando que dentro da sacola tinha o “chinelo ósa”. Já foi sentando pra tirar a sandália.
E a professora contando que ontem ela pedia pra colocar o chinelo. Ela dizia: “Quéio o chinelo ósa. Lá na muchiia Pi. Mamãe botô lá!”.  Tadinha. Não estava lá... Às vezes eu mando... quando sei que vai estar muito quente...

Então, ela deve estar lá, agora, de “chinelo ósa” e bem faceira... e de unhas pintadas... filhos... ai, ai!!!

indo para a escola... agarrada na sacolinha...
não é melissa... é o chinelo rosa!

terça-feira, 4 de novembro de 2014

das fases difíceis

Pelos últimos posts, pelas tirinhas e conversas registradas no blog, dá pra perceber que nossa filhota é fogo.
E essa fase é complicada. Tem que ter muito jogo de cintura.
Não dá pra negar que é uma fase gostosa, onde a gente percebe a evolução a cada dia que passa. São novas palavras, novas frases, novas músicas, novas brincadeiras, novas histórias e estórias.
A imaginação corre solta!
Mas também é uma fase de muitos desafios pra nós pais. De puxar aquela paciência gigante que estava adormecida (ou que nem existia, no meu caso), contar até 100, dar uma volta e esfriar a cabeça.
Nina não tem medo de quase nada. Então, não adianta dizer que o bicho pega, que o sapo pula, que o boi da cara preta pega a menina que tem medo de careta... não adianta... Ela mesma canta a música do boi bem faceira.
E aí, haja imaginação pra dar a volta.
Mas aí eu comecei a me perguntar: pra que imaginação? Por que não explicar o porquê das coisas?
Percebo que a Marina precisa de argumentos, de explicação. Não é só um “porque sim” ou um “porque não” que vai  satisfazê-la (e não é só com ela, mas com todas as crianças.... é aí que pode surgir a revolta, a gritaria, a rebeldia...).
E quando explicamos, ela entende, mesmo sendo pequena ainda.
Se damos uma explicação qualquer, por exemplo, por estarmos com pressa, sem paciência, não vai funcionar. Ela faz bico, franze a testa, cruz a os braços e diz: “Tô baba cuxigo!” (tô brava contigo!). Tudo porque foi contrariada e não entendeu o motivo.
Não acho que isso é querer desafiar, afrontar. Porque eles simplesmente querem algo. E quando querem, fazem de tudo pra conseguir.
Assim como nós adultos gostamos de explicações, os pequenos também gostam. E tem capacidade de entender. Se não entendem num primeiro momento, o fato de insistirmos com as coisas fazem com que eles assimilem mais fácil.
Sem contar que estamos respeitando-os enquanto pessoas. E respeito a gente ensina desde pequeno.
O respeito é parente da educação, do caráter... e por aí vai.

Então, paciência, respeito e muito amor para criar cidadãos melhores para o mundo. E para enfrentar as fases difíceis dos nossos pequenos. :-)

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

momentos da Nina

Só passei para registrar dois momentos desta semana que passou:Nina jantando mamão e Nina assistindo Peppa.

Graças a Deus ela ama frutas. Das mais variadas. Não recusa nada. 
Deixamos tudo sempre bem à vista, na fruteira, em cima da mesa. Ela só pede e a gente dá.

E, graças a Deus, ela não é muito ligada em tv. Até porque não ligamos a tv e também porque ela não pede. Nesta noite, por acaso, ligamos (não porque ela pediu) e a porquinha Peppa estava no ar. Aí ela parou alguns segundos pra olhar. Até eu parei pra ver... heheh

devorando o mamão

vendo a porquinha rosa

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Nina e suas prosas

E as pérolas da Nina continuam a todo vapor.
Todo dia é algo novo. E é tão gostoso ver esse desenvolvimento dela. Porque quando ela faz algo, é pensado. Ela entende o que faz. Nada é automático. É processado.

Por exemplo, toda vez que a repreendemos por algo, ela olha pra gente, franze a testa, faz biquinho e diz: “Tô baba cuxigu!” (Estou brava contigo!)
Aí eu digo: “Mas eu não tô  braba contigo! Só tô triste!”
E ela pensa e diz: “Tô tisti cuxigu!” (Estou triste contigo!).... rsrsrs...
Tá bom, tá bom! Aí tem que rir mesmo.
#meninageniosa

Outro dia, estávamos eu, ela e a Mona no elevador. Eu estava comendo e ela me olhando.
Aí ela solta: “Não pode falar de boca cheia, né mamãe!
Eu: “Não, não pode, Nina. quem te falou isso?” (pensei: ela aprendeu isso hoje na escola e agora está falando)
Nina responde: “A mamãe!
#orgulhodamamãe

Depois do banho ela quer cantar a música da borboletinha em cima da cama dela. Aí ela senta em posição de índio pra bater as perninhas pra borboletinha voar.
Nina: “Mamãe, aúma a perna! Aúma.” (pedindo pra eu sentar em posição de índio)
Eu: “Tá bom, mamãe já arrumou. Agora canta.
E ela começa a cantar. Para não atrapalhar, eu canto só mexendo a boca.
Ela olha para mim e para de cantar: “Não, mamãe. Não mexe a boca. A Nina canta.
#sóaninasabecantar

Ainda depois do banho, coloco em cima da cama para trocar.
Ela levanta e vai fechar a porta: “Tem muquito, mamãe.
#pavordemosquito

Todo mundo pronto pra sair de carro.
Nina na cadeirinha. Papai no banco do motorista, de cinto.
Mamãe no banco da frente (sem cinto, ainda).
Nina: “Mamãe... o cinto, mamãe!
#ninapreocupada

#ninamotorista

sábado, 18 de outubro de 2014

carta para Nina

Minha filha querida, hoje mamãe leu uma linda carta, escrita pela mamãe da Helena, mas que, com certeza, poderia ser escrita para você.
Uma carta cheia de amor, ternura, delicadeza e sensibilidade que transcrevo aqui porque precisei compartilhar, para que um dia você possa ler e entender tudo que fizemos para você ser feliz.

Seja feliz, nossa linda e amada MARINA!

Segue a cartinha, um tiquinho adaptada, mas com os devidos créditos ali em cima!

É uma questão histórica a narrada necessidade da mulher de precisar de um relacionamento que a proteja, complete e estruture toda a vida. Há oito mil anos atrás era necessário para a perpetuação da família e a raça humana. O casamento é algo social, político e uma exigência para a moral.Nos explicam isso desde cedo. Durante a infância fazem piadas que teremos vários namoradinhos. Na adolescência é esperado que aconteça o florescer do amor por outro homem, aquele que irá nos ensinar como sua presença é necessária. Também é comum dizer que é preciso estudar para casar, porque vai que ele te dá um pé na bunda, você não pode ficar triste, porque terá dois filhos para criar. E veja bem, se o ato de ter uma família é um dever, o de criar os filhos da forma mais perfeita possível é uma exigência.Querida, eu fui criada para acreditar que se fosse violentada, humilhada ou diminuída, nada disso seria pior que ficar sozinha. Criar filhos sozinha seria o decreto da minha infelicidade. Ninguém me disse que eu podia não casar, não namorar, não ter filhos. Dizer não e ponto.Aliás, nunca nem me foi falado de amor, me foi falado de dinheiro, casa, carro, faculdade e fazer a escolha certa. Por isso me sinto imensamente feliz em lhe escrever que você não precisa de ninguém para ser feliz. Você jamais irá se isolar do mundo, das pessoas, de sentir coisas e vivencia-las, mas tudo parte de escolhas.Você pode ser imensamente realizada sem uma família ou com uma família que não seja “padrão”. Pode conhecer a plenitude na maternidade ou não. Você não necessita daquilo que julgam necessário para ser uma pessoa realizada, a única ferramenta necessária é acreditar que você pode ter tudo que precisa para conseguir isso sem agradar as exigências alheias. Que pode escolher o que funciona para você ou compreender, quando situações que fogem do controle surgirem, que o que determina o mundo é o seu ponto de vista.Eu me basto. Com trinta e poucos anos de idade aprendi que não preciso do seu pai, de um diploma, de um trabalho perfeito ou de uma casa bonita. Eu escolhi estar na família que estou. Eu escolhi te ter e cultivar o maior amor do mundo. Eu escolhi fazer as escolhas de acordo com aquilo que sou.E, faça isso. Se ame mais do que eu um dia irei te amar. Me diga não, me chame para conversar por horas sobre os seus sonhos, me conte as razões que te levam a sorrir. Sorria por coisas simples e jamais, jamais ame em vão. Não ame por status, por bens ou por pessoas. Ame porque você tem tanto disso dentro de si que transbordou e virou uma flecha que atingiu alguém.Ame meninos, meninas, flores, árvores, o moço sentado no último banco do ônibus ou a garotinha que está brincando no parque com a mãe. Ame o brilho nos olhos de alguém e a luta diária de pessoas que ainda sonham com uma vida melhor. E se você encontrar alguém que vá te fazer feliz todos os dias da sua vida ou uma semana dela, sorria. Isso é muito mais do que se pode esperar de dias chuvosos e do calor do verão.

Com amor,Mamãe.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

trabalhando e brincando com a mamãe

Neste ano, assim como ano passado teve festa no trabalho da mamãe para comemorar o dia das crianças.
E lá se foi toda a criançada brincar de trabalhar e brincar de brincar.
Foi muito divertido. Nina aproveitou muuuuito mais neste ano. Pra quem clicou no link ali em cima pra ver como foi no ano passado, deu pra ver como ela cresceu!
Teve contação de estórias, teatro, fantoches, brinquedos infláveis, música, Galinha Pintadinha, Peppa Pig, o homem da perna-de-pau... e muito mais.
Teve lanche, pipoca, cachorro quente, sanduíche, frutas, iogurte, sucos, água, refrigerante, algodão doce... nossa, tanta coisa legal!
No final, Nina não queria ir embora, porque, segundo ela, mamãe trabalha com a Peppa e a Galinha Pintadinha. Vejam que legal! rsrsrs
Agora, algumas fotos da festa...







quarta-feira, 15 de outubro de 2014

tal mãe... tal filha 3

Há algumas semanas a mamãe está usando óculos.
Nina adorou, claro. Imagine! Novidade é com ela mesma! Quis até experimentar.
então, dia desses ela achou meu antigo óculos e que nunca usei. Estava lá, guardado, com uma perna quebrada e tudo.
Tive que arrumar para ela usar. Ajeitei a perna e tirei as lentes. E aí, foi uma festa. Agora ela tem um óculos só pra ela!
Nossa bebê intelectual!!!

terça-feira, 14 de outubro de 2014

andando na chuva

Quer diversão maior? Quer felicidade maior?
Como tão pouco pode fazer alguém tão feliz?

A felicidade está nas pequenas coisas. E nas mais simples, podem apostar!

Nina na chuva!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

fazendo bolo com a mamãe

Se tem uma coisa que Nina Ninoca adora é ajudar a mamãe. Seja na casa, na cozinha, lavando a roupa... Ela sempre diz: "Nina qué ajudá mamãe! Nina ajuda!". Que fase mais gostosa essa!!!
E não tem pessoinha mais feliz quando damos uma tarefa.
Nesse final de semana saímos para ver orçamentos para os móveis da casa nova. Coisa muito chata para uma criança. Cansa bastante. Então, no sábado, quando chegamos em casa, ela estava brava, cansada, chorosa. Aí, resolvi convidá-la a me ajudar: "Nina, vamos faze rum bolo?".
Nossa, tudo passou e outra criança apareceu: disposta, feliz, motivada!
E lá fomos nós, fazer um bolo de milho.
Ela amou a função. Depois que preparamos, foi para o forno e ela ia espiar. E conversava com o bolo: "Oi bolo!".
E o bolo??? Ficou uma delícia!!!!

Nina ajudando a mamãe

sábado, 11 de outubro de 2014

semana das crianças na escola

Essa semana, que antecede o dia das crianças, é especial na escola.
Como Nina não foi para escola na semana passada (estava com conjuntivite - de novo), recebemos o bilhete com a programação somente na segunda-feira, dia 06/10.
E a semana foi agitada.
Na segunda-feira teve show de mágicas. Na terça, teve culinária e a receita foi cupcakes, Na quarta, foi a vez de piquenique no pátio. Quinta-feria teve festa à fantasia e na sexta, foi a vez do lanche coletivo.
E, para emendar a semana, vai ser feriadão na segunda, dia 13/12, por antecipação ao dia do Professor. E a vovó vem para cuidar da Nina nesse dia.
Acho super saudável essas atividades. Até porque eles aprendem, se divertem, fazem bagunça, gastam energia e Nina sempre volta feliz e contando as estórias no fim do dia.
Que Nossa Senhora Aparecida abençoe todas as crianças hoje e sempre!
Que cada criança tenha muito amor, carinho, comida, segurança, saúde e a felicidade de estar com as pessoas que as fazem mais felizes.
Que elas possam crescer num ambiente seguro e feliz.
Um Feliz Dia das Crianças. Obrigada à Nossa Senhora Aparecida por todas as graças enviadas.




quarta-feira, 8 de outubro de 2014

2 anos e 3 meses e a velocidade das coisas

Marina está prestes a completar 2 aninhos e 3 meses e muita coisa têm acontecido ultimamente.
É incrível a velocidade com que ela aprende as coisas. Não precisa explicar duas vezes. Na primeira ela já processa e guarda. E não precisa nem ensinar. Ela pega no ar, numa conversa ali, outra aqui.
O vocabulário está um espetáculo. Conta muitas estórias. Conta do seu dia na escola, num passeio, quando está na vovó, quando brinca com os amiguinhos. Enfim, formula frases, parágrafos e textos inteiros. Às vezes, nem respira pra conseguir terminar um “causo”.
Geralmente não se atrapalha nas palavras. Tenta falar tudo, repete tudo.
A memória é algo também que nos espantamos. Sobre algo que aconteceu há 4, 5 meses atrás ela ainda lembra e conta.
Por exemplo, no aniversário dela, na casa da vovó, o priminho Diogo caiu, chorou e a mamãe da Nina passou pomada na testa dele. Toda vez que ela vê a tal pomada, ela conta a história.
Conta também a história dos carrinhos coloridos que o primo Davi comprou e deu: o azul para o Rica, o laranja para a Nina, o amarelo para a Valentina e o verde para o Davi. Você pode perguntar de trás pra frente, de frente pra trás, da pessoa pra cor, da cor pra pessoa e ela não se enrola. Tem na ponta da língua quem ganhou qual.
Ela também imita direitinho a mamãe aqui. “Não podi!” “Tô baba!” e aponta o dedo, franze a testa e faz cara de mandona.
Marina sempre foi uma criança bem sociável, mas tem ficado mais. Acho que a vergonha ou timidez estão dando lugar à curiosidade de saber mais. E ela não tem medo de nada. Ah, tem sim: de mosquito. E só!
Desde que começou a caminhar, com 1 ano e 3 meses, toma banho sem banheira, de pé mesmo, no box. Mamãe ou papai ajudam. Mas ela gosta de lavar o cabelo, o bumbum, a mão, os braços, o pescoço, as pernas, os pés... e é banho rapidão. Tomou, saiu. Sem enrolar muito.
Marina é uma criança tranquila. Embora seja uma criança que goste de atenção, de brincar e interagir com a gente o tempo todo, que precise de atividades pois não se prende à filmes, tv, dvd, ou outras coisas do tipo, ela entende quando explicamos as coisas pra ela. Ela fica brava, mas entende.
Na escola dá para perceber que os coleguinhas gostam muito dela. Quando ela chega, todos vão correndo encontra-la. E ela abraça um por um. E beija às vezes. É difícil recebermos alguma reclamação de mau comportamento, mas às vezes acontece sim. Conversamos muito com ela para evitar de algo ruim se repetir. E tem dado certo. É difícil voltar a acontecer.
Marina tem saído com algumas pérolas. Quando ela cai, por exemplo, ela diz: “Nina caiu de maduia!”. Obviamente alguém falou pra ela que não era pra chorar, que ela caíra de madura.
Mas ela quase não chora. É muito difícil vê-la chorar. Muito mesmo. E sempre acorda de bom humor, conversando, dando bom dia, dando abraço e beijo.
E a fase de brincar com a Mona e o Fredo está linda de viver. Ela abraça, aperta, faz carinho, conversa com eles. E, aos poucos, eles vão se entregando a ela. Logo serão todos grandes amigos.
A-D-O-R-A um shopping. Mas não é sempre que a levamos. Geralmente se comporta em lugares públicos. E recebe elogios das pessoas. Só não se comporta se algo a incomoda, como fome ou sono.
Dorme em qualquer lugar, com barulho, com claridade, no colo, na cama, no sofá, na cadeirinha do carro... bateu o sono, ela capota.
Come bem e procuramos dar comida saudável sempre.
Quase não fica doente. Às vezes tem uma febrícula. E quase sempre sem maiores consequências. Vem e vai. Resfriados? Difícil. Viroses? Às vezes. Geralmente conjuntivite. Acho que ela gosta de ficar em casa por uns dias.
Fica bem na casa dos avós quando necessário. Dorme fora de casa, se ambienta super bem.
E aí, dia desses, olhei pra ela eu perguntei pro marido: Por que tem gente que acha tão difícil educar um filho? Olha a Nina. Tão querida, boazinha. Tem a personalidade dela sim. E forte. Mas é educada e tenho certeza que será formadora de opinião.
E ele respondeu: Não sei. Porque não fazemos nada de diferente do que fazíamos antes de ter ela. Deve ser o nosso jeito de viver.
Aí pensei: com certeza, o meio onde uma criança vive, as pessoas, escola, lugares... tudo influencia. Tudo molda a pessoa.
E por isso acredito que educar não é fácil. Mas também não é nada difícil. Porque são nossas atitudes que educam. Nossos valores. Isso sim é o que eles enxergam e se espelham.
O primeiro passo para ter um filho é preocupar-se com isso. O resto vem naturalmente.

Pronta para a festa à fantasia e comendo
o cupcake preparado na escola

gauchinha, serelepe, desenhista e boa de garfo

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

book - 2 anos

Esse ano o book de aniversário veio mais tarde...
Mas... antes tarde do que mais tarde ainda!

E as fotos ficaram tão lindas. Um amor!
Nina colaborou. Desta vez não chorou. Até se exibiu! :P
Fez bolinhas de sabão, usou óculos de sol, fez careta!
A Daniela Raya caprichou com toda a paciência do mundo.
Aí vai amostrinha das fotos fofas:

Nina Ninoca
Amor da mamãe e do papai

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

aníver da bisa Clô

No último final de semana, fomos passear na casa dos avós maternos da Nina Ninoca (é assim que ela se chama agora).
Foi aniversário da bisa Clô, que comemora 93 anos de muita vida e saúde.
Infelizmente esquecemos de tirar a foto das 4 gerações para atualizar. A muvuca foi tão grande que fomos deixando, deixando e quando vimos, tínhamos esquecido.
Nina aproveitou muito bem o dia, os primos, os tios, avós, tios-avós e a bisa. Brincou tanto. Se sujou de barro, terra, grama. Brincou com os cachorros da casa e da rua. Conversou. Correu. Dormiu anestesiada.
Acho muito importante esses momentos em família. Moramos longe de todos, então em casa sempre mostro fotos pra ela lembrar. E dá certo. Quando ela os vê, parece que convive todos os dias com eles. E assim é com o lado paterno também. Nina sabe o nome de todos, inclusive dos cachorros.
Não podemos perder esses momentos únicos. E fotografar muito pra ficarem na memória e na lembrança.
domingo
Festa da bisa
na casa dos avós


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

terça-feira, 16 de setembro de 2014

tal mãe, tal filha 2

E para essa primavera, Nina e mamãe vão arrasar!
Vejam só o modelito que vamos usar....

Melisseiras de plantão!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

resumo do final de semana

E o final de semana foi divertido. Ficamos em casa e curtimos cada minuto com a pitoca.
Nina saracoteou muito. Passeou, brincou, correu, pulou e dançou. Como caminha essa menina!
No sábado, saímos para almoçar e jantar. Nina adora comer "do sóppi".
Pela manhã, brincou com o papai na pracinha e no play do prédio. Aproveitou pra encontrar "ozamigo" da vizinhança: Duda, Sofia, Laura e Matheus.
À tarde, passeamos na obra. Mas Nina dormiu no caminho e nem viu.
À noite, foi a vez de sair pra comer pizza.
No domingo, Nina brincou com o papai no play enquanto mamãe fazia o almoço. Depois almoçamos em casa.
À tarde, fomos passear no parque. Estava um domingo lindo de sol e calor. Nina se divertiu muito.
e o domingo acabou com um bebê capotado no sofá!
Boa semana a todos!

sábado começou com a corda toda e terminou sem pilha


domingo no parque


no banho...

Eu: - Nina, vamos tomar banho?
Nina: - Não, mamãe! Não quéio.
Eu: - Ah, vamos, aí tu fica só de fralda e faz a “dancinha da fralda”.
Nina: - Tá bom! Tudo bem!

Agora é assim... todo dia ela faz a dancinha da fralda...



vai ficar dodói...

Nina, na sala, tirando o sapato, as meias... e um frio de renguiá cusco:
- Nina, deixa o sapato e a meia. Tá frio. Pelo menos a meia.
Nina: - Não, não quéio.
Eu: - Hum. Tá bom. Mas tu sabia que se tu ficar doente vai ter que fazer uma visitinha pra alguém?
Nina olha... pensa... e diz:
- Mamãe, bota a meia?
Eu: - Tá bom, vem cá que a mamãe coloca.
Nina, sussurra bem baixinho: - Não qué Dr. Renato. Nina não qué!

Sapequice em nível máximo.

trocando a fralda

Nina: - Mamãe, mamãe, cocô!
Eu: - Pode fazer, depois a mamãe troca a fralda.
Nina: - Não picisa, é só xixi.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x


Eu: - Nina, vamos trocar a fralda? Tá cheia de xixi.
Nina: - Não, mamãe. Não picisa, tá sequinha.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x


Nina, fazendo força: - Mamãe, mamãe, cocô!
Eu: - Pode fazer, depois a mamãe troca a fralda.
Nina: - Não! Papai troca.
Eu: - Tá bom. Papai troca.
Nina: - Não. Mamãe troca.
Eu: - Tá bom, mamãe troca.
Nina: - Não, papai....

Afe... decida-se!!!

domingo, 14 de setembro de 2014

num quedito!

Saio do banho e enrosco num treco pendurado no teto do banheiro que cai no chão.
Eu: - Ihhhh, caiu!
Papai, na sala diz: - O que aconteceu? Quebrou?
Eu: - Não, só caiu o pendurico aqui do banheiro.
Nina, que ouviu tudo, grita: - Nina qué vê, Nina qué vê!
E sai correndo da sala para o banheiro falando: - Ah, não! Eu não queditu!

sábado, 13 de setembro de 2014

trabalhando...

Eu: - Onde a Nina vai trabalhar quando crescer?
Nina, pensativa: - Na Ieni, mamãe.
Eu: - Hum, não é no Sicredi?
Nina, com cara de “você não entendeu, mamãe?”, responde: - Não mamãe, na Ieni, eu faleiii.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

só de meias

Eu: - Nina, não tira o sapato. Tá frio.
Nina: - Não mamãe. Nina qué tirá.
Eu: - Não tira, tô avisando!

Aí ela tira e fica só de meias.
Papai, pega os lixos e diz: - Vou levar o lixo lá embaixo.
Nina, prontamente: - Mamãe, ajuda Nina botá sapato, ajuda mamãe! Ajuda!!! Mamuuuu!!!

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

2 anos e 2 meses

Hoje nossa pequena completa 26 meses. Isso mesmo: 2 anos e 2 meses.
E o tempo voa. E quanto mais voa mais coisas ela aprende. Pela manhã, ela sabe “x” coisas. No fim do dia, sabe “x” + 1000.

momentos de Nina
Abre parênteses...
Sim, eu fechei o blog. E achei chato mesmo deixar fechado. E resolvi abrir de novo.
Mesmo que ninguém leia, mesmo que ninguém comente, vou escrever pra quem tiver interesse em ler. Algumas amigas queridas reclamaram de não poder acompanhar a Ninoca. Então, já que elas “conhecem” nossa história desde láááá atrás, quando a mamãe e o papai aqui ainda eram da vida de tentantes, não seria justo e sim, egoísta, não dar mais notícias.
Até porque eu continuei escrevendo. Então, foi só ir lá e clicar na opção público e tudo ficou certo!
Fecha parênteses.

Voltando...
Nina está numa fase mais gostosa de meu Deus. Fala pelos cotovelos. E fala T-U-D-O! Forma frases, conta estórias, conta do dia na escola, dos acontecimentos, sabe o nome de todos os colegas e professoras, sabe também quem é o pai ou a mãe de quem da turminha.
Sabe o nome dos avós, dos primos, tios, cachorros todos, cavalo do tio Neco, louro da vovó. Sabe em que cidade eles moram.
Sabe o nome dos amiguinhos do condomínio, dos filhos de amigos nossos.
Tem uma memória de elefante! Dia desses eu falei, meio que despretensiosamente, que no natal, o Papai Noel ia vir buscar o bico dela. Ela não respondeu nada. Só ouviu (aliás, presta muito a atenção nas coisas e guarda).
Uns 5 dias depois ela me disse: “Papai Noel pegá bico da Nina”.
Acho até que já dá pra começar a fazer mini-posts com as tiradas da Nina...
Adora pintar as unhas de “uoxo”. Sim, ela gosta de pintar as unhas de roxo, que na verdade não é roxo, é transparente. Mas ela acha que é roxo porque a tampa da base é roxa. Ainda conseguimos enganar.
Sabe contar até 10. Sabe as principais cores: preto, branco, roxo, rosa, azul, laranja, verde e “du ite” (esse é vermelho, do Inter... rsrsrs!).
Adora colocar as bonecas para dormir. Arruma os cabelos das bonecas, troca a fralda, faz shshshshshshs enquanto embala para elas dormirem, coloca no travesseiro e cobre com a “cobéita”.
Quer comer sozinha. Nada de cadeirão. Cadeira normal. Tem lugar na mesa (o que era da mamãe e mamãe que se vire!) e é a primeira que senta e a última que sai. É companhia pra quem quiser comer.
Falando nisso, é muito parceira. Falou em sair, ela está pronta. Falou em trabalhar, ela vai junto. Falou em tomar banho, ela é a primeira. Falou em fazer comida, ela quer ajudar.
É teimosa. Tem que chegar em casa, tirar os sapatos e as meias e ficar de havaianas. Mesmo no frio de 0°.
E come. Agora ela aprendeu a pedir comida. "Nina qué comê." - ela fala quando passamos e algum restaurante. "Aqui tem papá.".
E adora um shopping. Papai diz que ela é mesmo filha da mãe dela!

É tanta coisa, que tenho certeza que estou esquecendo algo.

Ah, Nina está dando indícios de desfralde. Já segura muito mais o xixi.  Faz cocô pela manhã e à noite. Já pede pra sentar no vaso antes de ir tomar banho. Não faz nada, mas pede e dá tchau pro xixi (temos que puxar a descarga!). Vê o peniquinho ao lado do vaso e ainda não sentiu vontade de sentar. Mas está lá. O pediatra disse pra deixar só no banheiro para ela se ambientar.
A operação desfralde, pra valer, vai começar lá por novembro, dezembro, quando o calor aparecer aqui no Sul. Antes, sem condições. Oremos pra tudo dar certo.

Mas também, se não der, vai ser na hora dela. Se virmos que não vai dar agora, partimos para o próximo verão.

Te amamos, nossa pequena! Nosso tesouro! Nosso amor maior!
Que Papai do Céu sempre te acompanhe e proteja!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

amizades

Se tem uma coisa que eu estou achando muito legal nessa fase da Nina é a questão das amizades.
Nina tem muitos amigos. Na escola, fora da escola, na família...
E eu acho tão legal a gente, enquanto pais, incentivar esse contato e preservar essas amizades.
Eu acho tão mais legal (e pensando no mundo que temos hoje com tanta coisa errada, tanto medo do desconhecido) eles já terem o seu circulo de amizades desde cedo.... poder crescer com os amiguinhos, conviver e criar laços fortes e sólidos.
Claro que muitos vão se perdendo pelo caminho. Mas os verdadeiros ficam.
Na escola ela tem vários amiguinhos já. E vão permanecendo com ela até os 6 anos, quando ela mudará de escola.
Aí sim, vamos ver quantos vão ficar com ela no mesmo colégio.
No trabalho, tenho alguns colegas com filhos pequenos. Mas não eles não têm muita convivência. Mas quem sabe passem a conviver mais... vamos indo.
Quanto aos nossos amigos, muitos já têm filhos. E tem os primos também.
Nina sabe o nome de todos eles. Já pede pra ir na casa de um ou de outro. E quando vai, não quer voltar pra casa.
Se integra totalmente no ambiente. Acha que a casa é dela.
Ter amigos é a melhor coisa do mundo! Ainda mais nesse mundo tão virtualizado...
Quero que ela tenha histórias pra contar quando crescer. E dar muitas risadas.
Quero que ela lembre dos dias de chuva comendo bolinho, tomando café, chá ou chimarrão, comendo pipoca...
Quero que ela lembre dos dias de sol, e o papai fazendo um churrasco pros amiguinhos. Muita diversão.

E isso é ser feliz!
 
passeando com a amiguinha

bagunça na janela

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

dando nome aos brinquedos

O nome do primeiro brinquedo a gente não pode esquecer. E o “brógui” é pra isso. Pra lembrar as mães desmioladas que esquecem de tudo e um dia quer contar pro filho isso ou aquilo e não lembra.
Então, com 2 anos e 1 mês Nina deu nome ao seu primeiro brinquedo.
Sempre que ganhava algum boneco, perguntávamos qual era o nome. E era sempre “Neca” (diminutivo de boneca). Se era um bichinho, era “o gato”, “o a uau”, “o pototó”...
Até que, na semana passada Nina ganhou de um coleguinha, de presente de aniversário ainda, um pônei, daquela coleção “My Little Pony” (sim, eu sei porque vejo, raras vezes, propaganda na TV, mas não sei o nome de nenhum ou nenhuma porque não sei se tem sexo, se é tudo “a” ou “o”).
A que ela ganhou é a Pinkie Pie,  pônei terrestre, é uma pônei animada e elétrica, pronta para fazer e participar de qualquer festa, trabalha na doceria Torrão de Açúcar. Ela é toda cor de rosa claro, com crina encaracolada rosa choque. Sua marca especial são três balões (dois azuis e um amarelo) e seu Elemento da Harmonia é o bom humor. Tem um jacaré banguela de estimação chamado Gummy. Bem a cara da Nina mesmo!
Então que Nina amou “o gato”. Sim, pra ela, é um gato e não um pônei... E ponto final, não adianta discutir.
Ela poderia pensar que seria um cavalo, “o pototó”... Mas não. É “o gato”. E amou mais ainda porque “ele” (sim, ela acha que é masculino... e acho isso ótimo, pois não associa a cor rosa com feminino e azul com masculino, graçadeus) tem cabelos longos e vem com um pente para pentear e para xuquinhas. Ela ama. E tira o cabelo dos olhos, coloca pra um lado, pra outro... e coloca pra dormir, e troca fralda, e dá papá, mamá. Uma função com o tal pônei... ops, gato.
Passados alguns dias, perguntamos como era o nome do novo amigo e já esperávamos que ela dissess “o gato” quando ela prontamente disse: Soni (na verdade, ela disse “Xoni” fazendo um biquinho tão lindo).
E agora, é Soni pra cá, Soni pra lá...
Nina e seu amigo “Xoni”.
O primeiro que ela batizou! O primeiro de muitos...

Soni


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

soninho na escola

ah, que delícia dormir!

turminha toda tirando uma soneca depois do almoço