terça-feira, 18 de setembro de 2012

o que ninguém fala...

A cena: marido e eu passeando pelo condomínio com a pequena Nina. Ela com alguns dias de vida, nem um mês ainda...
Um conhecido passa e diz: "Ai, que linda, Parabéns. Minha esposa também está grávida... Muda muito depois que eles nascem?". Eu respondo: "Sim, muda tudo!". E marido: "Sim, muda pra muuuito melhor!".
Eu fiquei ali, sem saber o que falar, me achando a pior pessoa do mundo (culpa) por achar que não estava tão bom assim como ele estava afirmando.
Então, resolvi falar um pouco sobre a experiência que venho passando, desde que a Nina nasceu.
É impossível saber com antecedência o que é e como é cuidar de um recém-nascido. Você pode até achar que já sabe o que esperar, de tanto ouvir as pessoas contarem sobre o choro do bebê, a falta de sono, as trocas de fralda. Mas, enquanto não acontece com você, não dá para entender exatamente o que é isso. Até as mulheres mais descoladas podem não aguentar, serem incapazes de tirar o pijama, de tão cansadas e inseguras. É inevitável que a gente se pergunte se somos as únicas a ficar tão desorientadas com a nova vida. Mas não, depois descobri que acontece com todas (ufa!).
Pra começar, tem a recuperação do parto, independente se foi parto normal ou cesárea. Os hormônios no corpo mudaram drasticamente após o nascimento. Tem os pontos da cirurgia, sangramento, cólicas. Ao mesmo tempo, estamos tentando amamentar. Um caos vividos nos primeiros 10 dias (os piores, segundo a pediatra da Marina).
Você está tão cansada que mal consegue abrir os olhos; não consegue se trocar porque, toda vez que abre o armário para decidir que roupa cabe no seu corpo, o bebê chora ou precisa de alguma coisa. Banho, então, nem pensar - só quando tiver alguém para olhar o bebê. Lavar os cabelos é artigo de luxo. Até hoje, eu consigo lavar os cabelos uma vez por semana e só. Você fica  preocupada com os horários das mamadas que se esquece de comer. E ainda tem que tomar água pra fazer leite.
Então, você se dá conta de que, apesar de quase não ter experiência nenhuma no assunto, é responsável pelo bem-estar, pelos cuidados, pela alimentação e pela proteção daquele bebezinho frágil, 24 horas por dia, sete dias por semana. E tem de levá-lo ao pediatra para pesar e dar vacina, cuidar da roupa, pensar no que comer e ainda proporcionar os melhores estímulos para seu desenvolvimento. Dá para entender por que tanto cansaço. É muita coisa e tudo tão novo!
Os primeiros dias do bebê são difíceis. Têm dias em que o peso da responsabilidade, as tarefas domésticas e os cuidados práticos com o bebê não te deixam curtir o bebê como gostaria.
Mas a boa notícia é que, com o tempo, a gente se ajeita e cria uma nova rotina, onde nós conseguimos fazer tudo isso  aí em cima e muito mais.
O que eu fazia desde os 10 dias de vida da Nina era sair com ela pra passear ao ar livre. A pediatra liberou para passeios em lugares abertos, para tomar sol, e aqueles 10, 15 minutos eram ótimos para nós. Às vezes eu ia pela manhã e à tarde.
Confesso que eu tentava sim deixar a casa limpa, porque aqui tem cachorro e gato. Levantava e ia limpar tudo antes da Nina acordar. No início era bem difícil e cansativo, agora já tiro de letra.
Uma coisa que não estava a meu favor era o fato de estar sozinha. Não tinha ninguém (e ainda não tenho) pra me ajudar. Marido ficou 25 dias em casa e depois fiqui só. Ainda bem que ele tirou férias, senão acho que eu ia enlouquecer.
Também pelo fato de estar amamentando, não posso ficar longe da Nina por longos períodos.Então, ainda não fui a um salão de beleza, por exemplo. Pintei o cabelo em casa e faço minha unha em casa também, quando marido está, para cuidar da pequena.
Têm dias que eu só queria dormir um pouco, deitar o corpo na cama e espichá-lo. Deixar as costas descansando... Os braços já estão acostumados. Nem dóem mais.

É verdade que a vida muda totalmente a partir do momento que o bebê nasce, mas o caos e o estresse das primeiras semanas não duram para sempre - graças a Deus. Logo eu penso que tudo será meio que automático, e a vida seguirá normalmente. Espero!
E em meio a tudo isso acontecendo, ainda quero ter um segundo filho. Porque tudo isso vale muito a pena quando vemos aquelas carinhas lindas sorrindo para nós, querendo nosso colinho, nosso leite... Afinal, somos MÃES!
Beijos!

13 comentários:

  1. Muito bom o teu post...me fez pensar no que me espera daqui uns meses...mas como tu falou tudo vai valer a pena com certeza! Estou contando os dias...
    Beijos fiquem com Deus...

    ResponderExcluir
  2. É, Bi, por mais que a gente saiba que vai ser cansativo, é muito diferente sentir o cansaço na pele. E a responsabilidade, então? Nas duas primeiras noites, não preguei os olhos, verificando se ela estava respirando e ansiosa com o peso daquela responsabilidade. Pra homem é mais fácil, pois o pessdo é com a gente, né?
    É mto trabalho e é non stop, mas sei q vai melhorar!
    Por aqui tenho mamãe e empregada me ajudando. Sbia que ia ser dificil, então me dei de presente uma empregada todos os dias, hehe!
    Já é um alívio!
    Bjks

    ResponderExcluir
  3. Concordo com absolutamente tudo. E por mais que o marido diga que não liga se a casa não ta perfeita, o corpo não ta como antes.. Eu me sinto insuficiente para manter a casa como queria e o corpo, bom.. Não vamos falar sobre ele (...) rs.
    Mas a gente se adapta e com tempo nem lembra como era antes.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Nossa esse post caiu como uma luva para mim é exatamente isso que eu to sentindo tambem, hj a Amanda completa 15 dias e realmente os 10 primeiros são os piores...mas tudo isso vale a pena mesmo quando olhamos essas carinhas lindas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Muda tudo mesmo. Mas é como você disse: somos mães né? Temos uma força que não sei de onde vem.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Que relato bacana Bibi.
    Todo mundo acha que é fácil, mas não é nenhum pouco. Ainda tem as pessoas palpiteiras de plantão.
    Seu post serviu como dica para mim.

    Obrigada por compartilhar.

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Concordo muito com vc, Bibi. Os primeiros dias são mesmo uma prova de fogo, mas como tudo vale a pena! O amor que sentimos é mesmo incondicional, profundo e transformador.
    Bjos...

    ResponderExcluir
  8. Exatamente somos mãe e só quando somos é que entendemos e descobrimos as nossas verdades e limites :)
    Fantástico o texto, me identifiquei muito.
    Bjus

    Rafa
    www.rafaelando.com

    ResponderExcluir
  9. Fiquei cansada só em ler, kkk!
    Mas como vc falou todo trabalho vale a pena quando se vê um rostinho com o sorriso bangela mais lindo do mundo, né!

    Mil bjus!

    ResponderExcluir
  10. é verdade mesmo Bibi, as vezes eu só queria poder esticar as costas um pouquinho e descansar.
    Mas ainda bem que seu marido vê com esses olhos , de achar que tudo melhorou.
    Também aqui em casa, em meio a toda essa correria e novas adaptaçoes ,pensamos em ter mais um filho.E precisa ser "meio" rápido , pq senão perco o pique.
    Sobre os meus dogs , tudo continua igual.O que mudou foi que não pego mais eles no colo.Antes vivia com um no colo o dia inteiro , e hj não mais.Xixi e coco eles fazem no quintal ou na rua.As vezes coloco o Kenjinho no canguru e lavo o quintal com ele grudado em mim....rs
    é assim minha amiga , a vida de mamãe não é fácil , mas mesmo assim é prazerosa.
    Um grande beijo em vcs duas
    Ps. a Nina está linda demais.

    ResponderExcluir
  11. Adorei seu blog! Parabéns!! Já estou te seguindo
    se puder me segue no meu também: http://amaedadrii.blogspot.com.br/

    Espero sua visitinha! Bjinhos.

    ResponderExcluir
  12. Amiga adorei o post!
    Parece tão difícil e as vezes achamos que nunca vai passar mais passa né?
    eu tô aqui quase endoidando com dois mas sabe que hoje me pego lembrando de que fiquei muito mais nervosa qdo o Pedro nasceu? eu choraaaaaava horrores pela falta de sono, pelo cansaco...hoje com o Léo eu tenho mais paciencia msm dormindo tarde, acordando super cedo e de madrugada...não me revolto tanto como foi da primeira vez....a gente acostuma! e nada nesse mundo paga o bebe ouvir sua voz estando no colo de alguem e comecar a chorar porque ele que voce! ser mãe é sem dúvida o meu papel mais brilhante nessa vida!!!
    beijos.

    ResponderExcluir
  13. Nossa... parece que leu meus pensamentos... ehehhe Excelente post! Estou passando pela mesma coisa aqui. Agora, o Luis Henrique já com quase 4 meses, a coisa começa a ficar mais fácil.Fica mais prazeroso. Ah, e consegui uma faxineira pra me ajudar 1 vez por semana. Já dá uma baita diferença nas atividades domésticas :) Bjss

    ResponderExcluir

Nós AMAMOS quando você comenta!!